Adolescente Amazonas – 2

Publicado: 24/03/2011 em DQ Acompanha
Tags:, , , , , , , ,

ESTAMOS ACOMPANHANDO ESSA BARBARIDADE COMO É O NOSSO DEVER

Procurador de Justiça chama comandante da PM de mentiroso

Comandante da PM diz que não sabia do vídeo com o crime dos policiais, mas MPE afirma que informou PM

Manaus, 23 de Março de 2011

Márcio Azevedo

Dan Câmara nega que tenha recebido pedido de informações. João Bosco chama comandante de mentiroso. Dan Câmara nega que tenha recebido pedido de informações. João Bosco chama comandante de mentiroso. (Montagem sobre fotos de Luiz Vasconcelos e Clóvis Miranda)

O caso da agressão ao garoto gerou um imbróglio entre Ministério Público Estadual (MPE) e o Comando da Polícia Militar. O comandante da PM, coronel Dan Câmara, disse que só ficou sabendo do caso minutos antes da veiculação do vídeo pela TV A Crítica, no início da noite de terça-feira (22). Mas o procurador de Justiça João Bosco Sá Valente, que apura o caso, apresentou um documento enviado no dia 28 passado a Dan Câmara, comunicando o fato e pedindo informações que ajudariam nas investigações que o Ministério Público conduzia sobre o caso do adolescente.

“É surpresa para mim. Eu desconheço. Esse fato é novíssimo para a Polícia Militar. Eu soube ontem (terça-feira), por telefone, quando a produção da TV A Crítica me ligou”, disse Câmara, na manhã desta quarta-feira (23), em entrevista à Nova A Crítica FM.

“Eu lamento que o comandante da PM tenha vindo a público proclamar uma mentira e também demonstrar toda a sua omissão em relação a esse caso. Há quase um mês eu mesmo encaminhei ao Comando Geral da PM uma requisição no sentido que o comando identificasse os ocupantes da viatura mostrada na reportagem”, rebateu o procurador de Justiça João Bosco em entrevista ao programa Alô Amazonas, da TV A Crítica, na tarde desta quarta.

O MPE distribuiu, nesta quarta, cópia da requisição de dados enviada à PM no dia 28 de fevereiro. O documento foi recebido no protocolo da corporação no dia 10 de março. Mas, de acordo com o comandante da PM, o MPE apenas solicitou a escala de serviço do dia do fato. “O Ministério Público pediu apenas a escala de serviço. Eles não mandaram nenhuma cópia do vídeo e não falaram sobre o caso investigado. Só soube do que se tratava minutos antes da matéria ir ao ar”, se defendeu Câmara.

Desculpas

Na entrevista à rádio, Dan Câmara não hesitou em pedir desculpas à população pelos atos dos policiais. “Eu sinto muito, mais uma vez. Demonstro meu sentimento de pesar. Peço desculpas à família desse cidadão. Passou a Polícia Militar a infringir a lei”, disse.

Fonte

Opinião DQ

Mais trágico do que o crime é a “tão comum” negativa do mesmo. Talvez isso tenha base num dos princípios legais do direito que diz algo assim: (…) Nenhum cidadão é obrigado a produzir provas contra si mesmo(…). É por isso que nós (repetidamente) nos deparamos com afirmações “descaradas” do tipo: não sei, não vi, não fui eu, eu não estava lá e uma das mais clássicas: eu não me lembro.

Esperamos então que não falhe a memória, nem a visão e etc. das autoridades competentes que deverão prestar contas com a sociedade em geral, inclusive fazendo referências a alguns incisos contidos nos direitos e garantias fundamentais do cidadão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s